Cancelar

 

Itaú não dá resposta satisfatória à COE sobre modificações no AGIR

Em última reunião do dia 20, além de cobrar mais transparência no AGIR, COE cobra ajuste satisfatório do auxílio educação e respostas sobre as mudanças na área de negócios

A Comissão de Organização dos Empregados (COE) do Itaú avaliou que o banco não dá resposta satisfatória sobre as alterações do programa Ação Gerencial Itaú de Resultados (AGIR). A avaliação ocorre depois de um ciclo de reuniões entre os representantes dos bancários e representantes do Itaú e após reunião realizada na última sexta-feira (20). Para a COE, as explicações do banco não foram convincentes.

Segundo o coordenador da COE Itaú, Jair Alves, há uma falta de comunicação do banco com o movimento sindical. “Os bancários de todo Brasil estão preocupados e descontentes com a política do Itaú em alterar as regras do AGIR no final de semestre, ou seja, as regras do programa foram alteradas no meio do caminho sem qualquer comunicado da instituição. Isso compromete a elegibilidade do programa e precisamos de uma definição definitiva sobre o que irá acontecer no AGIR”, explicou Jair.

A diretora do Sindicato Valdenia Ferreira, representante da Fetrafi-MG/CUT como titular da Comissão de Organização dos Empregados do Itaú (COE Itaú), esclarece que outra cobrança da COE Itaú foi sobre a definição do auxílio educação. “O auxílio educação precisa ter um reajuste satisfatório, uma vez que o reajuste não foi feito com um percentual que condiz com a realidade dos bancários. O banco  ficou de marcar uma reunião ainda esta semana para apresentar respostas concretas em relação a estas questões”, ressaltou.

Demissões – Uma rotina amarga

Outro assunto destacado na reunião foi sobre as demissões que estão ocorrendo no Itaú. “Nos últimos dias houve em torno de 15 demissões de Go`s e GGC´s. São números que preocupam e têm gerado muita tensão nos bancários, que vêm cobrando uma posição dos sindicatos, já que os desligamentos estão virando uma rotina no Go’s”, ressaltaram representantes da Comissão.

Fonte: SEEB-BH