ALERTA COVID-19: Juiz de Fora em lockdown 
Cancelar

 

ALERTA COVID-19: Juiz de Fora em lockdown

Na faixa Roxa, a mais restritiva do programa “Juiz de Fora pela Vida”, cidade já alcançou limite de leitos de UTI e serviços de saúde

Por conta do agravamento da situação epidemiológica na cidade, a prefeita Margarida Salomão decretou neste domingo, 7, a entrada da cidade na faixa roxa do Programa Municipal de Enfrentamento à Covid-19. O decreto de lockdown (nº 14.380 de 7 de março de 2021) passou a valer a partir da zero hora desta segunda-feira, 8, e se estenderá por uma semana inicialmente.

A prefeita chamou a atenção para os esforços da administração com o objetivo de ampliar os recursos de saúde no município, que alcançou no domingo 100% da ocupação dos leitos de UTI (Unidade de Terapia Intensiva), além de já enfrentar dificuldades com serviços de saúde, funerários e insumos. Todas as atividades presenciais no município estão suspensas.


Confira o que está permitido conforme o site da PJF:


- O transporte coletivo urbano, que deverá funcionar com a totalidade integral de veículos, vedado o transporte de passageiros em pé;

- O serviço de transporte individual público de passageiros (táxi);

- O serviço de transporte remunerado privado individual de passageiros;

- Postos de abastecimento;

- Serviços de saúde;

- Supermercados, mercearias, padarias, vedado o consumo no local e manutenção de mesas e cadeiras, respeitando o controle de fluxo de entrada e de uma pessoa a cada dez metros quadrados e o distanciamento de dois metros entre as pessoas;

- Farmácias;

- Estabelecimentos agropecuários e venda de alimentos preparados para consumo domiciliar deverão prestar serviço de portas fechadas e exclusivamente com entrega em domicílio;

- Agências bancárias e lotéricas, respeitando o controle de fluxo de entrada e de uma pessoa a cada dez metros quadrados e o distanciamento de dois metros entre as pessoas. * Conforme Inc. V do art. 2º do decreto nº 14.380 de 7 de março de 2021.


Preocupação dobrada com a categoria


A diretoria do Sindicato d@s Bancári@s da Zona da Mata e Sul de Minas, que acompanha de perto a situação d@s bancári@s durante a pandemia, reafirmou a preocupação com a categoria. Como trabalhador@s de serviços essenciais, bancári@s estão na linha de frente desde o início da crise sanitária. Os trabalhador@s do setor financeiro convivem com elevada incidência de contaminação por coronavírus devido ao ambiente de trabalho de alto risco, sem ventilação natural e com grande circulação de pessoas. 

A saúde mental d@s bancári@s também preocupa a diretoria do sindicato. Pois o que já era grande foco de adoecimento da categoria se intensificou com a pandemia. Trabalhar sobre intensa pressão e ainda com o medo de ser contaminado e de contaminar seus familiares tem dificultado o dia a dia d@s funcionári@s.

O secretário geral do SINTRAF JF, Robson Marques, vê com grande preocupação a situação enfrentada no município e destaca que, no setor financeiro, o atendimento via agendamento seria uma forma de evitar a grande exposição d@s trabalhador@s e da população de modo geral, além de acabar com as filas.

O SINTRAF JF pede aos bancári@s que denunciem à entidade qualquer postura que coloque em risco a saúde e vida d@s trabalhador@s e d@s clientes. 

Fonte: SINTRAF JF com informações do site da PJF.