Desenvolver resiliência ajuda a enfrentar a quarentena 
Cancelar

 

Desenvolver resiliência ajuda a enfrentar a quarentena

Ser atingido ou influenciado por esta situação que afeta a saúde física, mental, economia mundial e a sobrevivência das pessoas é praticamente inevitável.

Desde o início da pandemia e o crescimento de casos no Brasil, a população sofre de alguma forma este cenário e suas consequências. As diversas informações sobre os riscos e até mesmo a falta de conhecimento sobre a doença, a necessidade de mudança de rotina, as dúvidas e incertezas sobre o cenário pós-pandemia provocam nas pessoas muitas reações, desde crises de ansiedade ao pânico. Ser atingido ou influenciado por esta situação que afeta a saúde física, mental, economia mundial e a sobrevivência das pessoas é praticamente inevitável. Deste modo, para enfrentar este momento da melhor maneira possível, é preciso ter resiliência, que é o tema do Sintraf Cuida desta semana.
De acordo com a psicóloga do Sintraf-JF Taciara Scarton, a resiliência é um termo que vem da física que define a propriedade que alguns corpos apresentam de retornar a forma original após terem sido submetidos a uma deformação. Segundo ela, a psicologia, no entanto, apropriou-se desse termo para designar uma capacidade de pessoas se adaptarem ou se recuperarem de mudanças ou situações estressantes. “A resiliência envolve uma série de crenças que temos sobre a vida e atitudes que tomamos diante as situações. A pessoa resiliente, ao contrário do que se pensa, não é aquela que não sofre, mas sim, aquela a que sofre, reconhece seus sentimentos, aceita-os e tenta tomar uma postura diferente diante a vida” afirma a psicóloga.
Taciara explica que ser resiliente é reconhecer que coisas ruins e difíceis acontecerão e que não temos controle sobre isso, mas que tais situações são passageiras e que é possível se recuperar delas. Assim, envolve, aceitação das situações e das nossas emoções, autoconhecimento, e atitude; atitude para promover as mudanças necessárias para adaptação e superação. 
Conforme a psicóloga, o nosso grau de resiliência é formado e influenciado por diversos fatores, como relações familiares na infância, afetos criados, situações pelas quais passamos, crenças que criamos sobre nós e sobre o mundo, entre outros. No entanto, é uma característica que pode ser desenvolvida. “Podemos trabalhar nós mesmos para sermos mais resilientes. Um profissional psicólogo pode te ajudar nisso” explica.
Taciara destaca que neste momento de pandemia que estamos vivendo, a resiliência é uma característica importante, para podermos enfrentar essa crise, nos adaptando às necessidades do momento e assim, nos recuperarmos dela, quando tudo isso passar. 
Para outras informações ou para esclarecer suas dúvidas com a psicóloga do sindicato, entre em contato com a profissional pelo telefone  whatsapp 98446-8977.