Dia Mundial da Saúde em Defesa da Vida 
Cancelar

 

Dia Mundial da Saúde em Defesa da Vida

Data será marcada por mobilização na luta pela vacina para todes, geração de empregos, quebra das patentes da vacina e Fora Bolsonaro

Criado em 7 de abril de 1948 pela Organização Mundial da Saúde (OMS) para conscientizar a sociedade sobre qualidade de vida e sobre fatores que afetam a saúde da população, o Dia Mundial da Saúde será simbólico este ano, especialmente no Brasil. Em decorrência da pandemia de coronavírus, a Central Única dos Trabalhadores, sindicatos filiados e movimentos sociais fazem mobilização em defesa da vida. 

Os brasileiros enfrentam a maior crise sanitária de sua história com o agravamento da pandemia do novo coronavírus. Aprofundando ainda mais os desafios da crise, o país tem no comando um presidente negacionista, que sabota as medidas preventivas indicadas por autoridades da área de saúde, espalha fake news e orienta a população a usar o kit covid, que ele chama de tratamento precoce, já informado por especialistas como ineficaz. Jair Bolsonaro (ex-PSL) já é considerado um perigo para o Brasil e para o mundo, como afirmou o editorial do jornal britânico The Guardin desta terça-feira (6).

Com aproximadamente 3% da população mundial, o Brasil concentra 30% de novas infecções registradas diariamente em todo o planeta. Especialistas na área de saúde apontam que abril pode ser o pior mês da pandemia até agora e que, se nada for feito, o Brasil terá um total de 600 mil mortes até julho.

Neste contexto a CUT, entidades sindicais e movimentos sociais reforçam luta em defesa da vida, da proteção aos empregos e pedem Fora Bolsonaro, presidente genocida.

Madalena Margarida Silva, Secretária de Saúde do Trabalhador da central, aponta que o mote esse ano é "salvar vidas, proteger o trabalho, vacina para todos e todas e em defesa da quebra de patentes". Em matéria publicada dia 6 de abril no site da CUT, a secretária explica que "a ‘quebra de patentes’ significa uma suspensão temporária do direito de exclusividade do dono do produto, a chamada patente, que permite a produção, uso, venda ou importação do produto ou processo patenteado, por um terceiro, desde que tenha sido colocado no mercado. Há uma necessidade, um chamado global sobre a importância da quebra de patentes. Entendemos que é fundamental para diminuirmos os custos de vacinas e insumos para que possam ser fabricadas em larga escala, por mais laboratórios e e assim, garantir que todos ao redor do mundo possam ser vacinados”, destaca a dirigente.

Outra pauta de extrema importância são as vacinas já que, de acordo com cientistas, a maneira mais segura de frear a pandemia é a combinação de isolamento social com imunização em massa.

Não menos importante é a defesa pelo isolamento social, tão combatido por Bolsonaro. No Brasil, exemplos de cidades como Araraquara, no interior de SP, comprovam que a medida é eficaz no controle das infecções.

"Nossa luta é defender a vida acima de tudo de tudo, principalmente no contexto da pandemia. Perdemos o controle e não temos ações que garantam a sobrevivência das pessoas. Hoje, nossa luta é para que as pessoas não cheguem aos hospitais, que estão superlotados." finaliza Madalena Margarida Silva.

A diretora de Saúde e Condições de Trabalho do SINTRAF JF, Taiomara Neto de Paula, ressalta a importância da defesa do Sistema Único de Saúde numa conjuntura desfavorável com o Governo Bolsonaro: "Enfrentamos o pior momento vivido na historia da saúde no nosso país. Estamos em uma grave crise epidemiológica onde um governo genocida não dá condições dignas de cuidados preventivos à população. E só nos resta tomar os devidos cuidados para preservar nossa saúde. Os leitos superlotados dos hospitais devido a pandemia, ainda impactam nos demais tratamentos e procedimentos de saúde que possamos precisar. Saúde deve estar em primeiro lugar! Pois esse é o nosso bem mais precioso. Vamos nos cuidar e cobrar respeito para que possamos ter acessibilidade à tratamentos dignos e vacina para todas e todos. Vamos defender o SUS, ele é nosso patrimônio, defender o SUS é defender a vida." convoca a diretora .

Mobilização social

Um tuitaço está programado para às 11h, a hashtag principal deste dia será #VacinaSalvaBolsonaroNão.

Além da mobilização nas redes, a CUT também realizará neste dia uma live “Salvar vidas, proteger o trabalho, vacina para todos e todas e em defesa da quebra de patentes" com transmissão pelas redes sociais da central – Facebook e Youtube – à partir das 19 horas. Entre os convidados, o senador, médico e ex-ministro da Saúde, Humberto Costa (PT), o médico sanitarista e pesquisador da Fiocruz Claudio Maierovitch, e Fernando Pigatto, presidente do Conselho Nacional de Saúde. Pela CUT participam a secretária de Saúde do Trabalhador da Central, Madalena Margarida Silva, e Antônio Lisboa, secretário de Relações Internacionais.

O SINTRAF JF também participará da mobilização em suas redes sociais com a divulgação de materiais de conscientização sobre a importância do engajamento de todes nessa luta pela vida. 

Fonte: SINTRAF JF com informações da CUT.