Santander assedia e demite trabalhadores 
Cancelar

 

Santander assedia e demite trabalhadores

Além de demissões durante a pandemia, o banco ainda está convocando funcionários afastados para retorno ao trabalho e retirando gratificações

A prática absurda de demitir durante a pandemia de Coronavírus está se tornando regra no ramo financeiro. Banqueiros colocam a ganância por lucro acima do respeito à vida e dignidade dos funcionários e suas famílias. Diante de um cenário de demissões, inclusive de gestantes, contrariando a legislação e a convenção de trabalho da categoria; terceirização de setores inteiros; assédio moral e retirada de direitos; sindicatos dos bancários de todo o país realizaram protestos esta semana. 

Em agências da base do SINTRAF JF as denúncias vão além de demissões neste período. Funcionários denunciam convocações indevidas para retorno ao trabalho, redução da jornada e retirada de gratificação de função. Sobre as convocações, o Santander ultrapassou os limites legais e convocou bancários que se encontram afastados por problemas de saúde e que aguardam resultado de perícia médica. Através de comunicados, bancários também tiveram sua jornada de trabalho reduzida bem como seu salário, uma vez que perderam suas gratificações.

Ciente desses absurdos, a direção do SINTRAF JF acompanha a situação. O sindicato fez o repasse das denúncias para a Comissão de Empregados do Santander (COE) estadual e nacional e aguarda posicionamento respeitoso do banco para com os seus funcionários. Em protesto a tamanho desrespeito, cartazes foram colados nas agências do Santander de Juiz de Fora. O objetivo é alertar os funcionários e a população para as práticas assediadoras do banco.