Sindicato intensifica ações para inclusão da categoria no grupo prioritário para vacinação contra Covid-19 e denuncia abusos durante a pandemia 
Cancelar

 

Sindicato intensifica ações para inclusão da categoria no grupo prioritário para vacinação contra Covid-19 e denuncia abusos durante a pandemia

Além do abaixo-assinado on-line, entidade também encaminhou solicitações ao Ministério Público do Trabalho e Ministério Público Federal; em conjunto com o PROCON JF outra ação denuncia abusos no sistema financeiro ao Ministério Público de MG

No último mês a diretoria do SINTRAF JF se reuniu com a prefeita de Juiz de Fora, Margarida Salomão (PT), e com o superintendente do PROCON JF, Eduardo Floriano, a fim de dialogar sobre medidas para conter a contaminação por Coronavírus e aglomerações nas agências.

Durante os encontros, o sindicato denunciou alguns abusos no sistema financeiro, como a cobrança exagerada de metas aos funcionários mesmo durante a pandemia, e sugeriu ações que podem contribuir para a diminuição da circulação de pessoas nas unidades bancárias, como a execução presencial apenas de serviços essenciais aos clientes.

Após os encontros, o PROCON JF elaborou uma ação e encaminhou o documento para o Ministério Público de Minas Gerais que aceitou a denúncia. A solicitação prevê a suspenção de metas e da venda de produtos/serviços. Com isso os bancários, que estão em número reduzido de trabalhadores nas agências por conta da pandemia, poderão priorizar os atendimentos essenciais à população, diminuindo assim as filas nas agências. O processo ainda está em curso. Em breve daremos mais informações sobre o andamento e decisão final do órgão.


Vacinação

O SINTRAF JF também está empenhado na luta pela inclusão da categoria bancária no grupo prioritário para a vacina contra a Covid-19. A atividade bancária é considerada essencial nos termos do Decreto n° 10.282 de 20 de março de 2020, alterado pelo Decreto n° 10.329 de 28 de abril de 2020, que regulamenta a Lei n°13.979 de 6 de fevereiro de 2020. Porém esses trabalhadores não estão incluídos no Plano Nacional de Imunização (PNI) contra a Covid-19 e nem no Plano Estadual de Vacinação do Governo do Estado de Minas Gerais, uma contradição.

Desde a última semana, o sindicato realiza um abaixo-assinado com o objetivo de coletar assinaturas e pressionar o poder público para essa inclusão, que o movimento sindical acredita ser uma ação justa com os trabalhadores do ramo financeiro que estão atuando sem descanso desde o início da pandemia.


Para reforçar essa luta, nesta terça-feira, 30, o sindicato encaminhou um ofício para o Ministério Público do Trabalho solicitando que a categoria bancária e as demais categorias essenciais tenham prioridade na vacinação da Covid-19. Além disso, a entidade protocolou hoje, 1 de abril, outra solicitação com o mesmo objetivo, desta vez junto ao Ministério Público Federal.

Com essas iniciativas o Sindicato cumpre com sua missão de defender os interesses da categoria bancária, sobretudo no contexto de crise sanitária, econômica e social que vivemos. Entidades representativas da categoria em outras cidades do país também se empenham com iniciativas semelhantes.