Sintraf Cuida aborda situação dos bancários durante a pandemia 
Cancelar

 

Sintraf Cuida aborda situação dos bancários durante a pandemia

No Sintraf Cuida desta semana, a diretora da Secretaria de Saúde e Condições do Trabalho do Sindicato dos Bancários de Juiz de Fora Taiomara Neto de Paula fala sobre a situação da categoria bancária diante da pandemi

No Sintraf Cuida desta semana, a diretora da Secretaria de Saúde e Condições do Trabalho do Sindicato dos Bancários de Juiz de Fora Taiomara Neto de Paula fala sobre a situação da categoria bancária diante da pandemia.
O Brasil registra hoje, 06 de julho, 1.613.351 casos de covid-19 e 65.120 óbitos pela doença de acordo com consórcio de veículos de imprensa, a partir de dados das secretarias estaduais de Saúde.  Em Juiz de Fora, a Prefeitura Municipal confirma 2.255 casos e 63 óbitos. Os números crescentes demonstram a necessidade de reforçar as medidas de proteção contra o coronavírus, como o uso de Equipamentos de Proteção Individual (EPI) para os trabalhadores dos serviços essenciais e demais pessoas que precisarem sair de casa durante a pandemia.
Apesar do veto da presidência para a obrigatoriedade do uso de máscaras em estabelecimentos, a decisão não interfere nos decretos municipais e estaduais. A posição do presidente está na contramão de todos os protocolos científicos e da OMS (Organização Mundial de Saúde), que indicam que o uso de máscaras é uma das medidas mais importantes para evitar o contágio do novo coronavírus. Desta forma, continua vigente a Lei 23.636, que entrou em vigor em Minas Gerais em abril, e obriga o uso de máscara de proteção e outros recursos necessários à prevenção da disseminação do coronavírus causador da Covid-19 nos órgãos, entidades, estabelecimentos e serviços que estão autorizados a funcionar, como é o caso dos bancos. 
De acordo com Taiomara, o Sindicato dos Bancários de Juiz de Fora e o Comando Nacional dos Bancários permanecem na luta para garantir que os protocolos de segurança contra a Covid-19 sejam cumpridos. Desde o início da pandemia, representantes dos bancários cobraram da Federação Nacional dos Bancos (Fenaban) que fossem disponibilizados os equipamentos necessários para todos os trabalhadores. “Conseguimos negociar com a Fenaban que os bancos enviassem máscaras para todos os bancários, álcool em gel para as agências, reduzissem os horários de funcionamento das agências, conseguimos que os bancários dos grupos de risco fossem afastados, o trabalho home office para milhares de bancários, e também o rodízio de funcionários, em que uma semana uma equipe trabalha e a outra fica em casa e assim sucessivamente” explica Taiomara.
Segundo Taiomara, mesmo adotando todas as medidas necessárias, as agências bancárias são ambientes propensos à propagação do vírus, uma vez que não possui circulação natural de ar e há muita circulação de pessoas. Com isso, Juiz de Fora já soma 25 bancários infectados, de diferentes bancos e agências. Sendo a Covid-19 considerada doença ocupacional conforme a lei 8.213, Taiomara destaca a importância dos bancários infectados comunicarem Sintraf o seu adoecimento para que seja cobrado da agência assim como realizarem a abertura do Comunicado de Adoecimento no Trabalho (CAT), que pode ser feito pelo sindicato. 
Para esclarecimento de dúvidas, informações ou para realizar o comunicado de adoecimento ao sindicato, entre em contato com a secretaria de saúde do Sintraf pelo e-mail saude@bancariosjf.com.br, ou pelos telefones/whatsapp (32) 99108-3248 e (32) 98446-8977.
Confira o vídeo